30.1.11

Mais uma vez ...



“Você não sabe quanto tempo eu fiquei a te esperar, e só eu sei o tempo que eu levei pra te encontrar...”
Me esqueci que aqui todo mundo levanta de madrugada, agora pra fazer o que eu não sei te dizer, só sei que sempre acordamos antes do sol da o ar da graça, como a minha chegada ocasional certos estragos fui até o celeiro tira um pouco de leite da vaca e tentar não pensar na noite passada!
E engraçado encontrar a pessoa que a gente sempre quis fugir, como diz minha vozinha não tem como fugir do que é de verdade! Seria difícil não relembrar dos beijos roubados debaixo das cachoeiras, dos beijos roubados nos matos da fazendo, sinto muito mais isso não dá para fugir, e nem há motivos para fugir.
Você tem a capacidade de revirar tudo que sou, lembro daquela nossa briga boba sobre meu vestido que era curto demais, nesse tempo eu já não estava tão tua... quando foi mesmo que deixamos de nos pertencer?
Entenda não vai se hoje que vou lhe sorrir com sinceridade e dizer, sim está tudo bem! Mesmo errando ainda vejo você como o vilão de nós dois, sim tenho esse dom de ser egoísta quando se trata do meu sentir!
To aqui balançando a caneca e lembrando que na nossa ultima conversa você falou aquele refrão: “te amo com a certeza que você irá voltar” depois eu entrei no carro e segui a minha liberdade!
Deu vontade louca de dizer : vc percebe a força desse momento? É teu perfume que eu trago na memória! E é capaz da gente vira mais uma página de amores mal resolvidos, é bem capaz que eu entre mais uma vez naquele carro e nem te leve comigo!


28.1.11

Algo sobre nós ...


Resolvi matar saudades do pessoal de minas, então coloco meio socada as minhas roupas na mala tudo meio jogado , já que decidi acompanhar meu irmão de ultima hora, ai quanto tempo não passo por lá, quanto tempo não vejo o meu velho amor!

Meu irmão o senhor impaciente me berra, buzina atazana minhas idéias e tenho que sair correndo, nem dá tempo de esperar o elevador, vou pelas escadas mesmo com duas malas uma malinha de mão meu celular e minha extra bolsa gigante torcendo para não cair com tudo no chão!

Soco tudo no porta malas e entro meio sem rumo no carro, a estrada até a minha antiga morada é longa, vou cantando algumas canções de antes, canções que me lembram de quem deixei em Minas.

O nosso destino é Santa Rita do Sapucaí é uma cidade gostosa, passei tanto minhas férias aqui, os natais, vive por um bom tempo aqui! Meu irmão resolveu me chamar para essa viagem porque não queria ficar sozinho na casa, posso com isso...

Chegamos na casa, eu toda descabelada, querendo um banho, tentando fugir dos contatos parentais, mas ficou meio difícil fugir do meu querido avó, cidade pequena é assim mesmo as pessoas sempre sabem que você está em casa, fujo da recepção calorosa e encaro uma boa ducha ...

Me arrumo largada, aqui não tem ninguém mais para encantar, aquele tal amor, ah já deve ter seguido seu rumo, já nem lembra das minhas bochechas com convinhas,nem deve lembrar da nossa promessa de casamento ...

Eu me sento para matar quem me atazana as idéias, e ele aparece assim meio sem graça com um sorriso largo de menino maroto e puxa uma cadeira e me diz mineiramente : noite!

27.1.11

sou dessas ....


“” eu quero que você venha comigo...”
Eu tenho pavor de entrar no avião, é uma tensão tão desesperadora, mas é algo que sei que logo passa quando coloco meus pés na praia do arpoador! Dessa vez essa viagem é clandestina, deixei um recado simples para o porteiro dizendo: se me procurarem diga que eu fui correr o mundo!

Devo lhe dizer: para de me atentar assim, para de fazer eu arrumar e desfazer as minhas malas assim, não atice mais essa minha filosofia nômade, tu ainda não notou, mas você fez eu larga uma vida nada minha para viver o que sou!

Saltar daquele taxi e caminhar pelas áreas da praia me trouxe a consciência dos meus descasos com as pessoas de casa! Casa essa que está desfeita a meses, mas que ainda são meus queridos, minhas dores, em fim, fazem parte de uma parte de mim!
J
á lhe disse que cada fugida para cá me torno mais dessa cidade, até meu andar fica sedutor! Como pode né? Esse meu gingado de mineira aperfeiçoado para a da carioca....
Ah vc tem que parar de me roubar! Você precisa entender, que de certa forma eu pertenço a algum lugar, que mesmo não acreditando em casas fixas eu devo ter uma morada...

Todo esse discurso acaba quando a gente dança aquela canção do Chico! Eu bem sei que sou dessas mulheres que só dizem sim! 

26.1.11

ah coisa mais banal de todas ....



Acho um tanto desesperador aqueles papinhos ah você me ama se me ama me fala quanto... isso me assusta, porque amor não se meça, apenas se senti no calor do momento ou como é no meu caso no calor de uma briga!
Eu tenho certeza que amar vai além de cartões melosos em paginas de relacionamentos, vai além de mensagens pelo celular ou conversar rotineiras no MSN, o amor é algo que foge de nossa compreensão , o amor não aceita atitudes egoísta então o que é isso que as pessoas insistem em chamar de amor ?
Ontem como não tinha nada para comer em casa me bandiei para a padaria esperando meu pedido, deparei com uma menina um tanto mimada discutindo com o namorado sobre ele não amar ela, confesso tive que ficar de botuca na conversa...
Na conversa ( nada discreta) ela o questionava sobre o fato dele não amar ela e tals, e o coitado segurando as coisas negava com um sorriso amarelo toda aquele papinho desnecessário ...
Até que o sorriso acabou e ele soltou uma das boas : - como posso amar alguém que só me julga e me cobra? Creio que o amor é mais que isso, e se o que te oferece não ai já não é minha culpa a sua falta de amor próprio!
A moça ficou ali parada como se tivesse levado a pior das noticias,mas cá entre nós as vezes procuramos as coisas, as vezes gostamos de levarmos tapas! Eu me amarro em uma musica do Lulu que fala mais o menos sobre isso ....
“ Você não pode me odiar só porque eu falei a verdade, pior seria eu te iludir o tempo todo não vejo vantagem... Você precisa entender meu jeito de te querer pode até não ser como você imaginou , mas eu te quero, eu te venero, eu te adoro,só não vou te enganar, porque sou sincero, baby eu sou sincero...” fui cantalorando enquanto esperava meu pedido ....
E sem querer querendo fui lembrando de um papo com uma amiga pelo celular na hora do almoço em que ela dividia o mesmo conflito do casalzinho da padoca, e fui rindo e vendo nitidamente que o eu te amo é bem mais fácil de dizer do que nota de 25 reais!
Não me levem a mal, mais sejamos honestos, em um mês de namoro neguinho vem dizendo eu te amo, acho que as pessoas amam rápido demais e desgostam mais rápido ainda, qual é o tempo que se tem de um amor para outro ?
Qual é o fator que faz todo esse amor descer pelo ralo na primeira briga , no primeiro problema? Como funciona não amar mais? Existe ex amor? Ou ama-se todo mundo o tempo todo ? Ou não se ama ninguém e só se fala por propaganda por dizer mesmo ...
O dois homens que eu disse eu te amo, meu pai e meu irmão, minhas amigas dizem que sou econômica demais com a palavra te amo, só que as coitadas esquecerem que antes de falar temos que ter a decência de sentir!
Uma vez um carinha que me beijava no intervalo da escola me disse : te amo, e ficou esperando que eu chorasse e fala-se a mesma coisa, lhe olhei e respondi: que pena , pois eu não!
Sai toda feliz, no dia seguinte tava lá beijando outro fulano! O amor pra mim é poemas empiorados, sonhos de uma menina descrente de tal sentir! E você já disse ou cobrou eu te amo ? 

22.1.11

aquele verso meio sem sal ...




Eu nunca me liguei em canções cariocas, mas naquela última visita ao Corcovado me rendi! Meu andar parecia já ser de casa, meus cabelos já me denominava como sendo uma legítima carioca...
Ate meu andar apressado se ajustou ao andar maroto e faceiro dos cariocas, seria tolice minha dizer que não me apaixonei por um moço carioca, por um rapaz que desacelerou essa minha vida corrida...
Minha mãe disse que amor assim não dura, mas debruçada na janela do carro percebo que por aqui os amores são gostosas canções de Vinicius, e como diz o bom sábio
“que seja eterno enquanto dure”.
“ Dez na maneira e no tom, você é o cheiro bom do meu violão... Você é a canção que eu consigo escrever afinal... tudo que Rio que me deu, chão do meu terreiro...” 

17.1.11

dance comigo!



Segura firme na minha mão direita olhe firme para os meus olhos e siga meus passos, não é tão complicado assim! Apenas não fuja desse contato dos nossos olhos, é estranho, sei, mas minha avó me ensinou a dançar assim!
Os passos estão confusos, mas logo pegaremos o ritmo, apenas dance comigo ao som dessa canção! Apenas dance comigo! Sempre me confundo na hora de virar, sempre chega a ser engraçado, parece que demora até eu voltar segura para teu peito!
Vendo os outros casais dançando percebo que nunca fizemos isso, sei que você é a minha primeira valsa tímida! “Meu primeiro” parceiro de dança, mas gosto desse nosso contato do nosso balanço sem ritmo, mesmo assim é nosso balanço!
Então chega aquele momento de toda valsa, aonde os dois se olham fixamente e não há mais nada lá fora, apenas o som da nossa musica e a batida dos nossos corações esses sim parecem estar no mesmo tom!
E você me gira, e eu volto a minha doce infância, quando meu pai me rodava pela sala, como se não houvesse nenhum problema para se resolver, como se amanhã fosse um dia tão longe de chegar!
My dear, dance comigo, apenas dance! As coisas estão tão loucas lá fora, então pegue firme em minha cintura e me faça rodar como se não houvesse mais nada para se preocupar, eu quero apenas dançar as minhas alegrias contigo! 

15.1.11

eu bem sei ...





bem sei que tem dias que minha carência toma conta do meu dia, bem sei que tem dias que detesto todo e qualquer contato amigo, mesmo tendo carência, gosto que as pessoas percebem ela e não eu que a diga!

a carência vem de algo mais, vem de onde menos se espera, vem de um oie atravessado de um abraço frio, de uma conversa sem muito entrosamento! 

a carência não escolhe momento para chegar, mas é danada e fica um bom tempo! alguns dizem que uma certa carência é um belo charme, mas como sou assim teimosa a carência me deixa chata, me deixa amostra, me põe em contato com as minhas fraquezas! 

estou terminando meu café e comendo um pão de queijo e torcendo que essa minha carência acabe, que ela se encha de mim como estou dela e parta para outra vida, ou siga o rumo dela mesmo! pode ser que depois dessa distração eu de uma volta pelas calçadas dessas minhas ruas incertas, ou apenas coloque meu vestido e saí para beber! 

eu tenho carência e fome de gente que goste de mim! eu tenho uma carência terrível de olhares sinceros, de gestos honestos , uma fome imensa de atenção! sou faminta de pessoas que se interessem por mim, e não por comenta apenas por saber que as vezes sou uma de menina carente!

mas enquanto não encontro tais pessoas vou por ai bebendo um pouco, dormindo em alguma camas, rindo e pensando positivamente que a minha carência deu um tempo de mim! 

6.1.11

Você é assim...



“eu só queria me casar com alguém igual a você, e alguém igual não há de ter...”

Não foi o bastante ter me feito revirar na cama! Não foi o suficiente, ter me feito acorda remexida assim?! Tinha que cruzar meu caminho tinha que tomar café na mesma padaria que eu? E no mesmo dia e no mesmo horário?!

Tinha que se aproximar e puxa a cadeira que estava vazia de propósito, e eu boba aceite tal petulância! “quando é que você vai sacar que o vão que fazem suas mãos é só porque você não está comigo”

— encontrei teu irmão na festa de Re, e ele disse que saiu de casa
— sim! Não esbocei nenhum tipo de feição, é melhor assim, ele tem que enxerga o lugar dele na minha vida!
— ontem eu vi uma foto nossa você ainda tinha aquela franja mal cortada e com um band-id das princesas na testa lembra?!
— ainda tem foto nossa, aliás, fotos do pessoal?
— fotos nossas! Sim ainda tenho!

Ele fez questão de falar a nossa e me esboçar aquele sorriso que me gela alma que gela meu coração, que me irrita e tranqüiliza tudo aqui dentro, sorriso que decifra cada cicatriz minha, cada palavra mal falada, mal concluída!Levantei com tudo, não quis nem saber se havia terminado, pois eu não conseguiria ficar mais um minuto ao lado dele!

“eu estava em paz quando você chegou...”

— viu... Você não sabe o melhor, eu sonhei a noite inteira com esses lindos olhos, e com aquele perfume de flores que só tu tens!

Não virei, apenas escutei e segui até o caixa, a padaria não estava cheia, mas tinha pessoas o suficiente para me constranger! Fiz meu habitual coque, procurei na minha bolsa extra gigante minha carteira, e pra piora não a encontrava!

— pelos velhos tempos, coloca junto com a minha!
— não precisa! Detesto quando fala isso, tenho dinheiro, só não to encontrando a minha carteira!
— tá! Mas deixa-me ser o cavaleiro, o provedor dessa relação e pagar!
— que relação?!
— ah não faz isso ratinha!
— nunca mais me chame assim!
— sabe... Você sempre foi caruda pra tanta coisa, e a gente?
— e a gente?! Nunca existiu! Obrigada fico te devendo!

— “na minha boca agora mora o teu nome, é a vista que os meus olhos querem ter”, te lembra algo? E foi ali que me roubastes de novo! 

em uma noite dessas....



“estranho seria se eu não me apaixona-se por você”

Revirei tanto na minha cama, deve ser porque ela é nova, ou porque o tal do sono não queria vir mesmo! E eu fiquei pensando várias coisas, pensando em várias pessoas, relembrando de você para ser mais exata!

Mudei tantas vezes de posição, tentei dormi do lado contrario da cama, fiquei no meio, depois na cabeceira, depois tirei o lençol, fiquei com frio peguei meu edredom ai me irritei, levantei e fui comer alguma coisa...

Pensei que toda essa irritação seria fome, tendo em vista, que meu dia foi corrido e mal deu tempo de fazer minhas tarefas domesticas, já que sou uma dona de casa! Comi, assisti um pouco de desenho e meus olhos em convenceram a ir pra cama!

Deitei crente que os problemas tinham sido solucionados, como fui tola! Foi deitar nela e os pensamentos voltaram, só que agora com nome e sobrenome! Mandona como sou ordenei: — chega, deixa-me dormi sossegada!

Fechei meus olhos, e não pensei mais nada! Fiquei por alguns minutos queta, mas depois virei e recomeçou o meu pesadelo! Tentei juro que tentei, entretanto seu nome não saia dos meus lábios e pensamentos!

Na minha antiga cama não havia espaço para você, ou havia e eu escondia isso muito bem, e o tal sonho ou dejavú era o que povoava a minha agenda! Eram palavras que sempre quis escutar dos seus lábios!

“Quando penso em alguém, só penso em você” Bem sei que na minha mudança havia coisas nossas, ou melhor, que denominava como nossa, meu irmão até me questionou se levaria e com lágrimas nos olhos constatei: — essa história não é mais minha!

 “ando por aí querendo te encontrar, em cada esquina paro em cada olhar deixo a tristeza e trago a esperança em seu lugar...”

Se eu te encontrar nessas esquinas do acaso, farei questão de cobrar essa péssima noite que tive! E vou te falar que não é justo querer abrigo em meu coração, que não é certo voltar, mesmo sabendo que nunca saiu protesto e digo, não é justo, não é certo!

“Mas a terra avisto em você...O som que eu ouço são as gírias do seu vocabulário”



“ deixe que fale...”


Tem dias que detesto passar pelo meu espelho, pois ele sempre me fala verdades que nunca estou pronta para ouvir! Hoje diante dele fui obrigada a escutar tais desaforos...

— se fosse mais delicada, teria a chance de desfilar por ai com alguém teu, se tivesse postura da suas amigas poderia passar tardes maravilhosas no shopping! Se ao menos fosse mais magra, ah teria vários pretendentes na porta!

Tem horas que escutar tais desaforos me aquece o coração, mas justo hoje em que abri meu armário e nada me caia bem, e nada me deixava inteira, ou desejável ele tinha que despejar tais verdades?!

Ontem ele me confessou: — quando me olhas, quando me obriga a dizer algo sobre tua pessoa sempre me sinto inteiro, gosto de dizer alguns desaforos, mas bem sei que tudo que vestes fica bom, tudo que transparece nesses olhos, são tuas verdades que nem eu poderia destruir!

Acho que olho tanto pro espelho para encontra mais de mim, acho que quando conversamos madrugada adentro me sinto como uma menina mimada confessando segredos mal resolvidos, problemas de uma menina assim sem auto-estima como diz mamãe!

Bem sei que depois que comecei a desfilar com as minhas pernas a mostra meu espelho ficou rebelde, deixou de me olhar com seriedade! Passou a ter me comparar como uma qualquer!

Mas sei que faz isso por despeito, por inveja deu conseguir colocar tudo que ele não pode! Inveja de saber que depois de tempos guardando tudo que há em mim fui capaz de olhar com firmeza para o tais desaforos!

E depois de tempos trancada, resolve sair desse espelho, que me engordava, que me deixava com várias espinhas, que silenciava minha alma, calava meu peito e meus pensamentos!

Não precisei quebrá-lo, ele foi se calando naturalmente!

Estou aqui me arrumando com aquela saia que você vive dizendo que é vulgar com o decote que me valoriza com os olhos bem marcados e cantando aquela musica preferida do Lulu Santos .... “vai vai por mim, balanço de amor é assim, vem balançar,amor é balancei meu bem, só vai no meu balanço quem carinho pra dar”

Deixa que digam
Que pensem
Que falem

3.1.11

eu moro logo ali...


“mas o teu amor me curar, de uma loucura qualquer é encostar no seu peito e se isso for algum defeito tudo bem...” abrir cada caixa, tirar cada objetivo embrulhado com cuidado me faz ver que sim, estou em outro lar, estou no meu lar!

“hoje o tempo voa amor, e escorre pelas mãos” meu pai vivia cantando essa musica quando ficava brava com alguma briga boba entre meu irmão e eu! E pra me animar a colocar cada objeto em seu lugar vou cantando bem alto!

A melhor parte é essa: “eu quero crer no amor numa boa...” Estou descabelada, cansada e ao mesmo tempo feliz, como aquelas crianças que abrem o presente dos sonhos!

Coloquei na cozinha o livro antigo de receita da minha vozinha, trouxe pra sala aquelas fotos minhas de criança toda sapeca, toda inteira! Coloquei aquele retrato de família, que é um tanto antigo, mas que me deixa feliz sempre que olho!

No meu quarto ainda não sei o que fazer, é o ultimo cômodo que quero mexer, é o ultimo que quero colocar minha marca! Não sei é medo, ou se era o que sempre esperei e não estou sabendo lidar, acontece que vou deixar por ultimo este cômodo.

Eu estou tentada a estrear meu novo numero de telefone, quem sabe te avisar que agora tenho meu canto, nosso canto se preferir assim! Que vou poder finalmente lhe preparar aquele jantar a luz de velas!

Que agora temos um lugar para jogar os velhos sentimentos na roda, temos um canto para conhecermos mais um ao outro! Que hoje tenho minhas paredes brancas para começar novas cores!

Um canto para eu dançar as minhas musicas alegres! Meu lugar para receber quem anda me visitando ah tempos! 

2.1.11

ah tanta vida lá fora!



meu quarto está tomado de caixas e poeira, não sei porque decidir ir embora agora! Tudo bem que a idéia já existia algum tempo,mas organizando todas as coisas tidas como minhas vejo que nada é tão meu assim...
ao som de Lulu Santos, vou encaixotando todas as fotos empoeiradas,todos os vestidos nunca usados, alguns portas retratos decido não levar comigo para essa nova morada!
meu irmão indignado com a situação tenta inutilmente me convencer que a melhor opção é ficar e me calar diante das terrivéis previções maternas,mas é chegada a hora de conhecer a multidão que mora dentro de mim!
é chegado o momento de escutar o que tanto povoa dentro dos meus pensamentos, é hora de me apaixonar pelos meus pensamentos, sejam eles doces ou amargos, é chegada a hora!
aqui neste lugar fui tão feliz, conhece tantas alegrias, dei meus primeiros passos, falei minhas primeiras palavras, dei meus tropeços, quebrei muitos pratos e copos!
chorei intensamente, briguei demais pela minha liberdade, berrei muito,fugi de todos os tapas certos e errados, xinguei muito meu irmão, e virei as costas para as broncas da minha mãe!
dancei a valsa dos meus 15 com meu pai, apresentei nessa sala meu primeiro enrosco, tive a primeira conversa serei com ele sobre sexo! foi nessa sala que ele me esperou até cinco horas da manhã!
foi dentro desta cozinha que preparei meu primeiro miojo, meu primeiro ovo frito, e as minhas famosas bolachinhas. foi aqui também que te oferece aquele bom vinho.
foi na sala de estar que fizemos grandes comemorações, foi nessa sala que assoprei minha primeira velinhas de muitas, foi aqui que choramos e rimos, foi nela que tivemos conversas doloridas, mas necessárias!
sentirei falta do jardim, das minhas corridas atrás das borboletas, das tardes quentes banhadas da água da mangueira! deixará saudade as conversa minha com meu irmão na madrugada após balada!
cada canto aqui tem um pouco meu, mas o que me fará falta será meu quarto, as minhas paredes recheadas de historias, recheadas de fotos e recados de amigos e paixonites ...
mesmo tendo essa saudade, mesmo tendo esse luto, que será  momentaneo, o meu novo lar terá mais EU! Cada canto vai respirar meus sonhos, meus desejos...
Sinto que essa atitude me poupara grandes decepções, sei que para muitos a minha nova moradia é vista e tida como rebeldia, ah quem sou, para me rebelar com quem mais me cuido,com quem mais me amou!
Levo como tal explicação: " Eu nasci para conhecer as coisas, para experimentar tudo que a vida oferece, se nem a borboleta mora por muito tempo em seu casulo porque eu deveria?"
Agora estou rodeada de caixotes, e meu irmão está me achudando a levar para o carro, meu pai esta no volante e minha mãe, está fingindo que ficará bem, mesmo as duas sabendo que não é bem assim!
Ainda tem muitas coisas para levar, ainda tem muita história boa para se encaixotar! Pode até ser um pretexto meu para voltar e fingir que ainda podemos ser mãe e filha!
A verdade é que nada ficará como antes, nada ficará como é! As acusações, os tapas e os choros ficaram no passado! E vou cantarolando o refrão que me impulsionou a ter meu casulo... " E eu dou a volta, pulo o muro mergulho no escuro,saio de banda...Na minha vida ninguém manda não eu vou além desse sonho"

e de você eu quero e faço...


Era de se esperar uma lista do que desejo para esse novo começo, que costumo  dizer: - é um dia após os outros 365 dias! Mas como minha tia insiste em falar : - Nessa vida as resoluções de ano novo são de extrema importância... 
Rebelde como sou, questiono: - Do que adiante tia, fazermos tais resoluções se no meio do ano não cumprimos  um terço da lista? nessa hora ela sempre vem com aquele risinho sem graça e retruca: é uma tradição, horas!
Eu tenho certeza que nessa lista está ganhar direito, arrumar um namorodo, ter mais balada e ... mais nada, parece que a as pessoas só vivem tais quereres, tais sonhos! 
ta aí por esse motivo não sento que nem uma trouxa e faço isso! Prefiro as metas, e me cobro pra cumprir cada uma delas! Penso que 365 dias vai além de um bolso com grana e um namorado para invejar as amigas... 
A balada no começo é boa, mais com o tempo os papos são os mesmo e as fotos sempre as mesmas mostrando sorrisos comerciais, e as roupas sempre tendando embelezar o que há por dentro! 
Sou até simples em minhas metas, sou bem calma no que desejo para esses meses, gosto de ir um dia por vez, assim aproveito cada tropeço e cada vitória! 
Bem sei que em minhas metas se encontra o teu querer! Foi bom dividir o meu ano novo com você! Eu que não me saiu tão bem em festas de familia ter consederado tú como alguém já de casa me fez perde algumas medos!
O que quero de você 2011? Pessoas mais reais, gente que encare mais meus olhos! Ah eu quero aquela palavra que sempre me renova, MUDANÇA! 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...