31.8.10

É isso.

Não me perguntei o que vi em você, não fiquei me olhando assim como se fosse a ultima pessoa que irá passar pela sua vida. Todas nossas brigas acabaram nessa cama, mas esse joguinho acabou mesmo eu amando suas mentiras eu preciso sair disso....

Você parece aqueles tipos de droga que mesmo com reabilitação sua cura nunca chegará, você impregnou na minha pele, seu cheiro tudo seu permanece colado em mim, e mesmo eu me queimando você não sai de mim....

Eu quero saia da minha mente, que saia dos meus sonhos, que me deixe seguir em frente sem esse seu ar dominador, sem tua falta de confiança, eu quero ir sem ter que levar esse amor doentio comigo.

Mas eu gosto dessa vida que levo, mas eu amo brigar com você, eu adoro que meu coração doa pela suas mentiras. Amo quando do nada me tomas e me leva pro seu mundo sombrio, amo quando me rouba do mundo real.

Do que adianta arruma minhas coisas se daqui cinco minutos, sua ira tira tudo e me joga na sua cama? Qual é o meu real motivo de deixar tudo isso? Eu não tenho, acontece que cada minuto eu amo mais a vida que levo contigo.

30.8.10

na faculdade aprendi ...

Ninguém fala o que você vai encontrar quando decide entrar para faculdade, deveria ter aquelas bulas como as dos remédios, te informando que nos primeiros meses você terá aquela euforia que não caberá no seu peito, e depois com o tempo sua euforia se transformara em trabalhos e canseira...

Nessas bulas deveriam contém que ao longo do curso você fará grandes amizades, que tu encontra um possível affer, que vai deixar algumas coisas que acreditava de lado, não por força de vontade é assim mesmo outras idéias aparecem...

A faculdade é o lugar mais propicio de você se ferir, é aonde tudo que deixou de fazer no colegial poderá fazer sem aquela culpa de adolescente. As responsabilidades dobram, esquece aquele lance de ser tratado como um estudante, durante sua estadia na faculdade você será cobrado a todo instante.

Terá dias que as aulas serão tão chatas que ir ao bar será a melhor solução, às vezes tua opinião nem será ouvida, mas não se preocupe que um dia você fará a mesma coisa com seu amigo de trabalho!

As pessoas deviam ser avisadas que a faculdade te torna alguém mais vivido, mais cuidadoso com o mundo, te faz ser um revolucionário, te faz ter idéias mirabolantes para salvar o planeta. Pena que quando começamos atuar na área todo aquele discurso acaba indo pra gaveta junto com nosso diploma.

Mas mesmo é dentro daquele lugar enorme e cheio de gente, que tudo fará um sentido, a melhor coisa não são as aulas, sim os amigos que ao longo você conquista as risadas das piadas mais idiotas...

Aquelas competições de quem sabe mais, quando tiver chegando à reta final vai dar aquele aperto no coração, aquela ânsia de voltar tudo e recomeçar diferente!

Enquanto estamos dentro dela nos sentimos protegidos, abraçados, os professores são os mais loucos possíveis alguns tiram do serio, outros viram nossos melhores amigos.

Eu sei que esse texto te dá uma pequena noção de como é viver 4 anos dentro da faculdade, mas te confeço que mal sei como consegui escrever todas essas palavras, acho que ainda estou descobrindo pessoas , coisas...

Conto-te que quando tudo isso acabar você vai olhar para as fotos e ficar naquela gostosa nostalgia, vai dar aquela sensação boa de quero mais! Durante a minha estadia aprendi que a cada minuto aprendo... Confuso? Não é assim mesmo!

muito além do que esperava

Como assim? É o que me pergunto depois de ter atravessado a sua porta, ainda é estranho acorda ao seu lado, fazemos coisas de casais, que me desculpa ainda me assustam... Não pelo fato de não gostar de dividir meu pão com você, é que rola ainda aquela insegurança de menina mimada, sabe!

Mas confesso que é excitante fazer tudo isso contigo, ler o jornal, assistir aqueles filmes longos que nenhum dos dois tem paciência, mas que acaba fazendo só para animar a sexta-feira, aqueles passeios na praça ao entardece é tudo tão filme anos cinqüenta que derrepente me assusta.

Aquele lance de dividir o sorvete, o jeito como você me envolve nos seus braços, de como me torna parte sua, das canções que viram nossa trilha sonora. Gosto de ser essa peça chave na sua vida.

Às vezes fico matutando enquanto você dorme: — esse era o seu plano né, me prender aqui e me deixar dependente desse seu amor...

29.8.10

eu queria mais

— não me venha com suas mentiras, o que você quer mais de mim?

—...

— sabe, cansei! cansei de você virar as costas para as minhas lágrimas, cansei desse seu ar de superior em relação aos meus sentimentos, agora chega!

— quero ver ate aonde irá sua coragem

— vai muito além do amor que senti por você!

Aos prantos ela foi colocando suas coisas na mala, e tentando não perde a única coisa que restou desse relacionamento: sua dignidade! Mesmo sabendo que dele não viria nenhum afeto, ela mantinha em si aquela esperança tola de menina.

Aquele machucado que não se fechava, quanto mais ela empurrava suas coisas na mala , mas se lembrava das facadas em seu coração desferidas por ele. Era uma dor que não se curava, uma ferida que se abria cada minuto.

— você nunca me amou né, por que me enganou tanto assim? ele continuava fumando seu cigarro e mandando mensagens pros seus amigos, enquanto ela ficava ali tentando salvar o impossível.

— e sabendo disso porque você continuou?

— por que te amava mais que há mim.

Depois dessa afirmação a única coisa que restava era abrir a porta daquele lugar, e recomeçar. As feridas expostas, mas ainda tinha condições de caminhar, a pior dor seria ter deixado sua dignidade.

— essa isso ninguém vai me tirar. Dizia ela enquanto descia as escadas, tais escadas que em um dia lhe fizeram subir, hoje as trás para baixo...

28.8.10

O Improvável


—Quem sabe a Julia tinha razão, eu não estou tão pronta assim para ter um relacionamento de verdade, que implique dedicação mesmo, ou eu tenho um dedo mega podre. Ela dizia isso enquanto terminava de ser arrumar, mal sabia ela que esse discurso poderia mudar....

Colocar fim em um relacionamento não é tão simples assim, tem aquele lance de olhos nos olhos, mão na mão é aquele frio incontrolável na barriga como aquele que acontece no primeiro encontro, a diferença é que você não terá o mesmo olhar de ternura.

Ela tinha ciência de que sua vida amorosa era um fracasso total, todos eles nunca preenchiam suas expectativas, mas mesmo assim continuava presa a determinados caras.

Mal sabia que nessa festa encontraria o rapaz capaz de fazer ela acreditar no tão sonhado amor. Quem disse que é de primeira que se acerta tudo bem dizia para si... — eu poderia ter sido mais flexível com ele, poderia ter aceitado certas atitudes...

Não adianta todo relacionamento, o texto era o mesmo : — dessa vez vou deixar essa menina mandona de lado e vou começar a acreditar nas coisas que eles me falam, de hoje em diante irei me entregar sem medos.

Ah pobre de menina, ninguém tinha lhe contato que determinados atos poderiam lhe machucar mais que o fato de ser mandona, agora ela sabe. Infelizmente ou felizmente não dará ouvidos a suas “falsas” amigas, agora será ela por ela.

Quando entrou na festa procurou ele, mas sabia que ela já deveria estar com outra, mais um cara que se vai sem ter notado todos seus talentos, mais um que lhe deixa sem porquês.

O som auto demais para ela entender o que o barmem lhe falava, teve que gritar para pedir um simples copo de cerveja. — uma cerveja por favor! Impaciente começou a bater os dedos na bancada não dando conta que era observada...

Depois que o garçom lhe entregou o copo, ela fitou o tal moço que há minutos lhe olhava, fez um aceno com a cabeça e partiu para a pista de dança, claro que não iria dançar era apenas uma passagem para a saída...

Enquanto tomava sua cerveja dizia para si: — sinceramente, não sei por que venho nesses lugares, como posso me iludir tanto... Sem percebe que o tal moço estava ali atrás pronto para lhe responder tal duvida

— às vezes por que você se acostuma a pensar que derrepente a pessoa certa aparece, assim do nada...

— estava ouvindo o que eu dizia?

— desculpa não pude conter, você chama atenção sabe!

— eu? ( claro que ela sabia que despertava atenção, mas adorava fazer esse charme, isso era sua marca)

— bom sim, prazer meu nome é Lucca

— prazer o meu Naty!

— quem sabe eu não seja essa cara que você procura?

— nossa como você é modesto, rs

— bom, o não eu já tenho, agora falta eu conquistar o sim, certo?

— sim!

Dali a conversa se estendeu, os dois mal notaram a noite passar, começaram a recorda coisas de infância, ela ria daquele jeito maroto e encantador, enquanto ele lhe olhava nos olhos...

Não se sabe se dessa conversa roubada saíra coisas longas, a verdade que temos a mania de colocar tempo nas coisas, mesmo sabendo que o tempo é fundamental na paixão, às vezes temos que fingir que ele não existe.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...