6.9.10

amor.


Ela nunca acreditou no amor, — ah isso é besteira, dizia ela na roda das amigas no intervalo, de certa forma estava certa. amor como nas novelas ou nos livros jamais existiria.

Às vezes ela olhava para algum garoto, mas nada de mais, eles não prendiam sua atenção: — são exibidos, desdenhava. Suas amigas achava ridículo essa descrença de Aninha no amor..

— aiiii Aninha por que você fica falando isso, ai você deveria ver como o Betinho olha pra você. (ai como elas são fúteis) dizia para si! Aninha foi entender o que era ter as mãos geladas e o coração como um foguete quando trombou com o novato...

Os olhares se cruzaram como naquelas cenas de filmes antigos, nenhum conseguiu desviar o olhar parecia que a vida havia destinado aos dois aquele momento...

— desculpa...

— que isso...

Poucas palavras... pra grandes sentimentos, aquilo sim era amor, refletiu Aninha enquanto dançava valsa com ele....

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...