18.10.10

Eu!


Confesso que tentei juro, tentei olhar para outros caras que me dessem essa tal tranqüilidade, tentei escutar as promessas de amor, ou melhor, suas juras de amor...
Mas essa não sou, gosto do caos, adoro quando me esquece, mesmo me machucando isso me faz querer mais. Gosto de sentir dor, não gosto das coisas doces e fáceis.
Pode parecer, aliás, é uma doideira, que confesso, não sei como consigo levar, às vezes choro, mas depois volto a te seduzir, adoro esse tipo de coisa em nós dois, você tira de mim o meu pior...
Gosto quando me olha e me devora, gosto quando me puxa sem pudor, gosto quando me desafia. Adoro quando me tira do chão. Eu amo aquilo que não presta, amo aquilo que não é fixo, eu sei que doi, e hoje entendo que amo essa dor!
Não consigo acreditar em um eu te amo, mas acredito na palavra gostosa, não levo a serio o amorzinho, mas deliro quando ouço delicia, deliro quando tira minha roupa, gosto desse jeito ríspido.
Sim, já tentei entender o porque gosto do lado ruim das pessoas, mas eu não sou alguém tão bom assim para se amar, acho que de tanto brigar de tanto abraçar tantas dores eu quero que alguém me deseje assim, desse jeito torto e imperfeito que sou!
Posso chorar, posso me descabelar, posso ter vários, mas é de você que eu gosto, é pela suas mentiras que meu corpo arde. é do jeito que me pega que tenho tesão, é da suas besteiras que amo escutar no ouvido...
É de “safada” entre outras palavras que gosto de ser chamada, gosto quando me machuca, não sei lidar com alguém tão perfeito, eu odeio pessoas perfeitas, eu gosto do seu lado ruim, gosto da sua imperfeição!
Eu gosto do jeito que dói!

Um comentário:

  1. Me identifiquei de cara. Não gosto de nada comum, que me agrade, gosto de ir atrás, sofrer, amar, lutar e ser feliz. beijo

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...